Novos na Família #5.1

Olá, pessoas da Terra!

Pelo meu cronograma, este post deveria ter saído no dia 30 de setembro, mas só hoje consegui tempo, então vamos lá (risos). Ano passado, depois do aniversário do Submarino e da Black Friday, combinei com um amigo de juntarmos cinquenta reais por mês, cada um, para comprarmos livros esse ano. A ideia era juntar um dinheirinho e aproveitar as promoções, além de pagar à vista – o que dava desconto ano passado. Chamamos essa brincadeira de “O Projeto”, e fomos fiéis na coleta mensal. Optamos pelo aniversário do Submarino, pois as ofertas do ano passado foram bem melhores, e apenas sentamos e esperamos. Mas esquecemos um pequeno fator – a Bienal do livro. Acabamos gastando parte do dinheiro do Projeto na Bienal, mas ainda sobrou o bastante para gastarmos no aniversário do Submarino. O dia 15 de janeiro chegou, e com eles as promoções. Acabei aproveitando bem os descontos e promoções, e nisso fiz a minha maior compra de todos os tempos.

-h-tIjjB_cdZhtXMXqtKXx5Dnk_ZuvolyVaHI1ZHJnw

Continuar lendo

Confesso que li: A Estrela mais Brilhante do Céu [Resenha]

a estrela mais brilhanteAutor: Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
ISBN: 9788528615395
Páginas: 602
Título Original: The Brightest Star in the Sky
Nota: 5 estrelas

Sinopse: Existe um misterioso espírito que paira sobre o edifício número 66 da Star Street, em Dublin, Irlanda. Ele está em uma missão para mudar a vida de alguém. Em A Estrela Mais Brilhante do Céu, Marian Keyes demonstra mais uma vez sua técnica como uma dos grandes contadores de histórias da atualidade e sua vontade de ultrapassar limites na literatura. Os inquilinos do prédio 66 formam certamente um grupo excêntrico. Na cobertura mora Katie, uma mulher de 39 anos que trabalha como relações públicas de cantores e que só se preocupa com o tamanho de suas coxas e se seu namorado irá propor casamento. No apartamento abaixo, dividem o espaço dois poloneses mais a engraçada Lydia. No primeiro andar está Jéssica, a octogenária que vive com seu malvado cachorro e o filho adotivo. Já no térreo estão os recém-casados Maeve e Matt, que por mais que tentem esquecer o passado, não conseguirão.

estrela

Preciso admitir uma coisa: esse livro ficou parado na minha estante por quase um ano, pois eu simplesmente achava que não valeria tanto a pena. Comprei em uma das promoções malucas do Submarino, só porque estava R$ 10,00, mas quando chegou acabei não ligando muito. Isso continuou por um longo tempo, até que resolvi tomar vergonha na cara e começar logo o livro. E simplesmente me apaixonei!
10346382_10204130723777215_9144165463847067663_n
O livro conta a história dos residentes do edifício 66 da Star Street (dãrh, Liah, já está falando isso na sinopse), pelo ponto de vista do tal do “misterioso espírito”, que chega no edifício com uma missão e passa a observar a vida de seus moradores. Sempre pelo ponto de vista desse narrador misterioso, vamos descobrindo aos poucos os detalhes das vidas de Katie; Lydia, Jan e Andrei; Fionn e Jemima e Matt e Maeve, e percebemos que muitas vezes as aparências enganam.
10305260_10204130724457232_5498767095691825560_n
Com a dose certa de comédia e mistério, Marian vai desenrolando a história de um jeito que você já está completamente fisgado nas primeiras páginas. É o tipo de livro que você começa a ler e simplesmente não consegue mais parar – pelo menos foi assim comigo. Os capítulos iniciam com uma contagem regressiva dos dias e, conforme ela vai diminuindo, você fica mais e mais intrigado para saber o que irá acontecer quando a contagem chegar ao zero. Qual é o grande acontecimento que mudará para sempre a vida dos moradores da Star Street?
10453314_10204130723097198_1284295868332287255_n
O que também me agradou muito foi a profundidade dos personagens – principalmente do casal Matt e Maeve. Nas primeiras páginas a autora faz uma apresentação breve dos moradores do prédio, pela percepção do “visitante” bisbilhoteiro, mas conforme a história vai evoluindo, nós vamos passando pelas camadas mais superficiais das personalidades e descobrindo quem eles realmente são e como realmente pensam. Muitas vezes nos surpreendemos com o que descobrimos, com os segredos escondidos no passado ou mesmo no presente (como no caso da Lydia). Eu sou muito curiosa e a autora conseguiu me deixar roendo as unhas (não literalmente) de ansiedade, querendo chegar logo às respostas dos “mistérios” apresentados.
1513689_10204130726577285_8809974660002216905_n
Devorei o livro em poucos dias, ri com ele, me acabei de chorar e quase tive um ataque do coração em uma das passagens. Adorei o fim, de coração, e gostaria que tivesse mais algumas páginas, para que a história não acabasse (e isso porque já não é um livro tão pequeno). A escrita é leve e envolvente, do tipo que você devora as páginas sem nem perceber. Nada de linguagem rebuscada ou descrições desnecessárias: tudo é muito contemporâneo e está lá por algum motivo. Simplesmente me apaixonei pelo estilo de Marian e pela obra que ela criou, não poderia desejar uma leitura melhor que essa. E o livro foi tão bom, mas TÃO BOM, que preciso admitir que agora estou com medo de pegar outro livro da autora e me decepcionar. Meus sentimentos pelo livro podem ser definidos em uma única palavra: amei.