Confesso que li: Princesa Mecânica [Resenha]

Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501092700
Páginas: 430
Título Original: Clockwork Princess (The Infernal Devices #3)
Série: As Peças Infernais (#3)
Nota: 5 Estrelas + ❤

Sinopse: O mistério que liga Tessa Gray ao Magistrado continua indecifrável. Por que Mortmain precisa tanto de Tessa para fechar o quebra-cabeça das Peças Infernais? Além de tudo, enquanto luta para descobrir mais sobre o próprio passado, ela acaba se envolvendo cada vez mais no mundo dos Caçadores de Sombras e num triângulo amoroso que pode trazer consequências nefastas para todos que ela ama.

Dica: Leia a trilogia completa antes de ler “Cidade do Fogo Celestial”, pois as histórias se cruzam e você vai encontrar alguns spoilers da trilogia no último volume da série 🙂
Pode conter spoilers dos livros anteriores. Confira as resenhas aqui e aqui

É chegado o casamento de Tessa e Jem, e os noivos se preparam para a cerimônia. Mas, como nem tudo pode ser perfeito, a vida dos Caçadores de Sombras do Instituto de Londres parece cada vez mais complicada. Após a traição de Jessamine Lovelace, Charlotte se sente ainda mais pressionada a demonstrar controle sobre a situação com o Magistrado, já que sua autoridade está sendo questionada. Will tem que lidar com a presença de Cecile, sua irmã, no Instituto – um fantasma do passado que julgara ter deixado para trás, mas que voltou para assombrá-lo. E Tessa lida com a incerteza sobre sua própria natureza e a dúvida sobre a quem pertence seu coração. Mas o Magistrado ainda precisa dela para seus planos e, comprovando que está sempre um passo a frente, consegue colocar Tessa em uma situação onde parece não haver saída. Será ela capaz de condenar sua própria vida para salvar a de outros? E até onde irão Will e Jem para protegê-la?

Depois de devorar o segundo livro de As Peças Infernais, cheguei em “Princesa Mecânica” com o coração praticamente na boca. Apesar de eu realmente achar o vilão um pouco mais “fraco” que os de Os Instrumentos Mortais (não que a trama com o Mortmain seja vazia, mas acho o Valentim e seu sucessor – optei por não falar o nome, vai que alguém ainda não sabe que o fulano é vilão, não vou dar spoiler xD – mais fantásticos), estava completamente fisgada e ansiosa para o desfecho dessa trilogia. Apesar de não querer que o livro terminasse nunca, por estar completamente apaixonada pela história e pelos personagens, não consegui me impedir de voar pelas páginas, aguardando a revelação do mistério envolvendo Tessa e Mortmain, e todo o desenrolar da história. E, mais uma vez, a Cassandra não me decepcionou.

O livro retoma poucas semanas depois da última página de “Príncipe Mecânico”, e apresenta um ritmo envolvente já desde os primeiros capítulos, mas que ganha um passo ainda mais acelerado conforme o fim vai se aproximando. Assim como nos livros anteriores, a Cassandra soube brincar muito bem com as emoções e conflitos dos personagens, criando uma montanha-russa de emoções para o próprio leitor. É difícil não se deixar levar por todos os infortúnios dos Caçadores de Sombras, assim como não se alegrar com a felicidade deles – tanto os altos quanto os baixos foram trabalhados muito bem. E existe um certo momento nesse livro em que é absolutamente IMPOSSÍVEL não se desesperar, chorar, gritar e querer rasgar o livro de tanta frustração – ok, talvez não rasgar o livro, mas a Cassandra realmente te leva até o limite. E isso porque eu já comecei a trilogia sabendo o spoiler envolvendo justamente essa passagem, e ainda assim me desfiz em lágrimas no meio do ônibus, sem nem ao menos me importar com quem estava olhando, porque realmente fiquei com o coração em frangalhos ao ler aquele trecho. Ah, Cassandra, por que brinca assim com meu coração?!

Amei ver o desenvolvimento dos personagens, não só nesse livro, mas em toda a série. Foi fantástico vê-los amadurecendo, ganhando confiança, segurança, aprendendo mais sobre si mesmos e o mundo que os cerca. E não falo apenas sobre os protagonistas, mas praticamente todos os personagens que conhecemos. Comentei na resenha de “Príncipe Mecânico” o quanto eu gostava e me importava com os personagens secundários, e esse sentimento apenas se intensificou no último volume. Torcia a todo momento por Charlotte, Henry, Sophie, Gideon, e mesmo o ranzinza Gabriel e a recém chegada Cecily Herondale. Realmente me afeiçoei a todos estes personagens e muitos outros, e gostava de ler as tramas paralelas tanto quanto a principal, salvas as devidas proporções.

E disse e continuo dizendo: esse é o MELHOR triângulo amoroso que já vi na minha vida! Não tem um que possa se amar mais ou menos, mas os três estão tão intrinsecamente conectados que se tornaram basicamente um. E, tirar qualquer um dessa equação, seria o mesmo que tirar um pedaço do coração daqueles que ficaram. Porque, e cabe aqui lembrar, Will e Jem são parabatais e também são unidos por um elo especial. Eu confesso que já estou farta de triângulos amorosos, da fórmula básica e genérica, dos dramas da mocinha que fica cheia de dedos, sem saber qual dos dois escolher – já deu, né? E justamente por isso eu amo o triângulo presente em As Peças Infernais, pois ele escapa de todas essas chatices presentes em triângulos amorosos e cria uma fórmula que, acredito, não funcionará em nenhum outro lugar.

três

E, depois nos levar por um tsunami de emoções, ação e suspense, a Cassandra nos entrega um fim absolutamente fantástico, capaz de agradar o mais amargo dos corações. Dentre os elementos apresentados, o fim foi simplesmente perfeito, não poderia pedir por nada mais ou nada menos. Ela acertou e muito a mão, consagrando As Peças Infernais como uma das minhas trilogias preferidas.

Quanto à edição, continuo amando a capa e encontrei pouquíssimos erros de revisão, que eram mais constantes em Os Instrumentos Mortais, mas admito que acho que a Galera deslizou um pouquinho em alguns elementos da tradução. Lembro de dois casos específicos: o do gato Coroinha e dos livros de magia. Nos dois primeiros livros desta trilogia, somos apresentados a um gato ranzinza que foi resgatado pro Jem, e que só suportava o rapaz e mais ninguém. Mas é só quando chegamos ao terceiro livro, e quando a Galera Record resolve mudar a tradução do nome, que descobrimos que o assim chamado Coroinha é, na verdade, Church, o gato ranzinza que mora no Instituto de Nova York em TMI. Assim como os livros Gray e White, que são traduzidos como “Livro Cinza” e “Livro Branco”. Ok, sei que pode parecer besteira, mas, se tratando de uma série (não só as séries isoladas, mas a série de Caçadores de Sombras como um todo), acho importante manter certo padrão na tradução, para que aqueles que acompanham possam fazer a ligação entre os elementos.

E por último, mas não menos importante, uma dica que dou a vocês que ainda não leram este último livro: no começo de “Princesa Mecânica”, antes de mais nada, há uma árvore genealógica das famílias Herondale, Carstairse Lightwood. NÃO OLHE a árvore genealógica antes de terminar o livro. Acho que esse foi outro grande erro da editora, pois o leitor já se depara com um MEGA spoiler antes mesmo de começar a leitura. Então não vá todo alegre e inocente ver o que é aquela página, assim como eu, pois você pode bater o olho justamente na informação errada, assim como eu. Mas ainda assim vale a pena a leitura ❤ ❤

Anúncios

17 comentários sobre “Confesso que li: Princesa Mecânica [Resenha]

  1. Maiara Vieira disse:

    Oi Liah, tudo bem?
    Eu li Cidade dos Ossos e amei! Li no tempo que nem era modinha sabe…Ia comprar os outros livros da série para ler, mas ai a Cassandra começou a lançar mais e mais livros para série e isso me desanimou, já que não tenho dinheiro para tudo isso.
    Pretendo mais futuramente investir e comprar os outros livros, pois é uma história muito boa.
    Sobre a trilogia das Peças Infernais eu tenho bastante curiosidade, já que li várias resenhas e todas são muito positivas.
    Acho que as editoras as vezes exageram em algumas coisas e acabam dando spoiler demais, eu mesma parei de ler sinopses, porque eles contam a metade do livro nela :/.

    Beijão ;*
    http://www.livrosesonhos.com/

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Oi, Maiah, boa tarde! Tudo ótimo, e contigo? 😀
      Eu só fui ler depois de o filme ser lançado nos cinemas, mas porque uma amiga já era fã e vivia insistindo para que eu lesse. Achei uma boa promoção pelo box, acho que paguei R$ 60,00 nos livros (os quatro primeiros em edição econômica e o quinto na holográfica <3), e devorei-os rapidamente. O primeiro eu achei meio vago, mas peguei o ritmo no segundo e me apaixonei de vez pelo terceiro. Aí terminei TMI e comecei TID, amando mais ainda. Já comprei O Códex e As Crônicas de Bane também, e agora estou órfã de Caçadores de Sombras, hehe.
      E sim, realmente tem algumas editoras que pisam na bola e acabam entregando demais, ainda não me confirmo com essa árvore genealógica no COMEÇO do livro. Uma coisa seria colocar no fim, realmente é uma informação bem legal de ter, mas no começo acaba tendo esse problema do spoiler 😦
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Oi, Maria! ❤
      Acabou que eu não tinha muita dúvida, porque amei o James desde o primeiro momento em que o "vi", mas ao mesmo tempo não queria que o Will saísse perdendo, sabe? Ficava o tempo todo torcendo para o Jem, mas sofrendo pelo Will. E o fim que a Cassandra apresentou conseguiu satisfazer todos os corações, aquela linda *-*

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Ah, leia, Gabi! *———–* Eu amo os livros da Cassandra, e essa trilogia é perfeita! ❤ TMI também é muito boa, mas TID é completamente especial. E sim, as capas são extremamente lindas. E isso porque eu nem tenho a edição de colecionador, que vem com a capa holográfica, hehe xD

      Curtir

  2. Vulgo Emilie disse:

    Primeiramente: não cheguei a pôr os dedos na série. Mas, minha irmã comprou o volume 1, se não estou enganada…me lembro de ter ouvido falar muito bem dele em outros blogs. Agora, uma coisa que me chamou atenção: é impressão minha ou as séries estão acabando mais rápido atualmente? Sei lá, Harry Potter demorou anos XD. Voltando: erros de tradução desse tipo deveriam ser evitados pra manter um padrão. Sobre esse spoiler: recordei de um livro meu que continha um bem grande logo na orelha. Por sorte não a li [só o fiz depois de devorá-lo].

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Oi, Emilie!
      É realmente uma trilogia que apaixonou a maioria dos fãs dos Caçadores de Sombras, felizmente tem muitas críticas positivas, hehe. E estão mesmo, não? Acho que acaba sendo bom, porque sofremos menos com a ansiedade, mas alguns autores realmente parecem ser bem rápidos, HASDIUAHSDUIHASUIDHASUI. E sim, também acho que um padrão deveria ser mantido, já que essa familiaridade é realmente importante para uma série. E uau, spoiler na orelha é muita mancada, que bom que você não se deparou com ele antes da leitura xD

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Hey, Isabela, boa tarde!
      Imagino que a série realmente não agrade a todos os gostos, uma pena que não deu certo. Espero que o livro consiga te prender na próxima tentativa, e que goste tanto quanto eu *-*
      Beijos e ótima semana 😀

      Curtir

  3. tecamachado disse:

    Aaai, gente, me segurei para ler porque não cheguei nesse livro ainda, mas não teve jeito, pelo menos um pedação eu li, hahaha. Droga, peguei spoiler e a culpa é toda minha. Curiosa… Hahaha.
    Amo Cassandra Clare e seus livros fantásticos.
    Não vejo a hora de chegar na Princesa Mecânica!

    Beijoooos

    http://www.casosacasoselivros.com

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      HASUIDAHSUIDHASUIDHAUIDHUIAHDUI Poooxa, sinto muito! Tento fazer a resenha sem spoiler algum, mas realmente fica difícil não comentar sobre os livros anteriores, hehe. Mas vale a pena de todo jeito, esse livro é MUITO bom. Ah, Cassandra ❤
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

  4. Paula Mirella disse:

    Ai Meu Deus. “Eu não posso ler a resenha, eu não posso ler a resenha, eu não posso ler a resenha…” E pronto. Já bati o olho no trecho na primeira frase. É irresistível porque além da minha super-ultra-mega-hiper-full avançada curiosidade sobre As Peças Infernais, é a sua resenha, né Liah? Quem pode não gostar?
    Tô chorosa. Quero ler logo, quero poder comentar logo e compartilhar de ainda mais amor da Cassandra. ❤
    O BLACK FRIDAY ESTÁ VINDO AÍ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Tenho umas oportunidades. Mas sei que as livrarias virtuais tem lá suas artimanhas para dar uma ilusão de preços mais baixos. Já fez a sua lista? Pretendes comprar algo? Mas sei que a senhorita está abarrrrrrotada de livros.
    Amei as fotografias, viu?
    Um beeeeeeijo!
    Tem Post no Blog sobre customização de estantes e como você pode deixar ela com a sua cara. ❤ Vem conferir \o/
    Paula, Poetisa & Literária

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      HASUIDHASUIDHASUIDHAUISHDUIASHDIUA Já disse que você é uma linda, não? ❤ E poxa, espero que os spoilers acidentais dos livros anteriores não prejudiquem sua leitura então 😦
      Aaaaah, leia, leia sim, é tão AMOOOOOOR! Gente, essa trilogia mexe com meu coração de um jeito incrível. Amo TMI, mas TID é realmente outro nível. E sim, aproveite a Black Friday! É uma boa, pelo menos se estiver com um bom preço *————-* E que nada, estou calmamente ignorando tudo que tenha a ver com a Black Friday, justamente porque já tenho livros o bastante, pelo menos por alguns meses, HASUIDHASUIDHASUIDHAUI. Não quero comprar nada no impulso, já que me comprometi a evitar novas compras até terminar pelo menos metade dos que tenho por ler.
      E aaah, que bom *—-* Eu detesto a câmera do meu celular, acho que fica muito tremido e com baixa qualidade, mas a câmera da minha irmã nunca está carregada, lol.
      Beijos e ótimo finzinho de semana ❤

      Curtir

  5. Tamíris disse:

    Eu confesso que chorei três dias com esse livro. Confesso que é o melhor epílogo que já li, confesso que me apaixonei pelo Jem E pelo Will #TessaFeelings, confesso que me identifiquei muito com a Tessa, dá até medo do tanto. Confesso que faz 5 meses que li e ainda estou perdidamente apaixonada por essa série, confesso que já escrevi 12 fanfics dela e não consigo parar de ter ideias, porque é difícil pensar em outra coisa!
    Essa série me abalou tanto, me prendeu tanto, confesso que (essa palavra é tão linda para falar desse livro, porque ele me causou tantas reações que só um leitor doido e confesso teria) acordei no meio da noite chorando por causa do que aconteceu no epílogo, que chorei como nunca chorei na minha vida, soluçando e me abraçando pra juntar os frangalhos do meu coraçãozinho.
    Apesar de ter sofrido TUUUDO isso, A SÉRIE É MEU AMORZINHO ❤ já fiz 4 amigas lerem, todas amaram. Também achei a capa maravilinda e fiquei muito brava com a árvore genealógica, porque odeio spoilers, vi o destino Jem-Tessa-Will e fiquei "NOOOOOO, NO PUEDO SABER DE NADA!", mas não tem como adivinhar o final. Simplesmente não tem.
    Enfim, sempre que o assunto é Peças Infernais, sinto que posso ficar falando o dia inteiro, porque é muito amor *——-*
    Adorei a resenha, me identifiquei muito com você durante a leitura!
    Agora estou ansiosíssima de roer as unhas para "As Últimas Horas" e AIMEUDEUUUUS!
    Enfim, você terá uma depressão pós-livro enorme, viu? Força na peruca! kkkkk

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Aaaah, aquele epílogo, o que foi aquele epílogo ❤ Eu já sabia mais ou menos o rumo, porque tinha lido CoHF antes, mas foi fantástico poder ler aquelas páginas *-* Adorei o Will, mas o James me conquistou completamente, não consigo superar a perfeição daquele personagem. E estou MORRENDO de vontade de reler todos os livros, não só da trilogia, mas de TMI também D:
      E SIIIIIIIIIIIIIM! Eu queria socar o pessoal da galera quando me deparei com o destino Jem-Tessa-Will ali na árvore genealógica, SPOILER MUCH?! Eu já sabia o destino do Jem, mas ainda foi triste me deparar com mais aquela confirmação no começo, o que tirou muito impacto de uma certa parte do livro. E nem me fala, é realmente muito amor por TID, essa trilogia me conquistou completamente, quero entrar no livro e viver no Instituto de Londres, porque sim *—-*
      E pior (ou será melhor?) que não sofro muito de DPL, já emendei o Códex assim que terminei Princesa, querendo mais dos Nephilim, HASUIDHAUISDHASUIDHAUIS.
      Beijos e ótima semana! :3

      Curtir

Confessionário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s