Confesso que li: Anjo Mecânico [Resenha]

Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501092687
Páginas: 392
Título Original: Clockwork Angel (The Infernal Devices #1)
Série: As Peças Infernais (#1)
Nota: 5 Estrelas

Sinopse: Anjo mecânico apresenta o mundo que deu origem à série Os Instrumentos Mortais, sucesso de Cassandra Claire. Nesse primeiro volume, que se passa na Londres vitoriana, a protagonista Tessa Gray conhece o mundo dos Caçadores de Sombras quando precisa se mudar de Nova York para a Inglaterra depois da morte da tia. Quando chega para encontrar o irmão Nathaniel, seu único parente vivo, ela descobrirá que é dona de um poder que capaz de despertar uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das forças do submundo.

Dica: Leia a trilogia completa antes de ler “Cidade do Fogo Celestial”, pois as histórias se cruzam e você vai encontrar alguns spoilers da trilogia no último volume da série 🙂

Tessa Gray era uma garota comum, de 16 anos, que vivia em Nova York com sua tia Harriet, que criara a menina e seu irmão, Nate, depois da morte de seus pais. Mas, depois de ser acometida de uma súbita doença, a tia Harriet morre, deixando Tessa sozinha no mundo. O irmão, que havia se mudado para a Inglaterra um mês antes, a convida para ir morar com ele, e logo Tessa se vê abandonando toda a vida que conhecia e embarcando em um transatlântico.Ao chegar no Velho Mundo, a garota é recebida pelas Irmãs Sombrias, que dizem estar ali a pedido de seu irmão. Ingênua e sem desconfiar de nada, Tessa entra na carruagem das Irmãs, sem saber que estava rumando para seu próprio cativeiro.

A verdade é que Tessa não é uma garota tão comum assim, e ao longo das semanas seguintes as Irmãs Sombrias a ajudam a descobrir e dominar o seu dom: Tessa consegue se Transformar em outras pessoas, bastando segurar um item que pertence ou pertenceu a ela, e que ainda tenha sua essência dentro. Com a Transformação, Tessa também acessa as memórias e pensamentos da pessoa, e não só sua aparência física. Depois de uma Transformação particularmente complexa, as Irmãs finalmente revelam seu objetivo: Tessa está sendo treinada para que seja entregue ao Magistrado, um homem poderoso e misterioso, e que seria seu futuro esposo.

Tessa, que já queria fugir há um bom tempo (e só não o fazia porque as Irmãs diziam que Nate era seu prisineiro), não aguenta mais e tenta escapar da casa em que está sendo mantida prisioneira, mas é capturada novamente e amarrada em sua cama. Ela descobre que o Magistrado iria para a Casa Sombria naquela mesma noite, para se casar com ela, e que o trabalho das Irmãs finalmente estava finalizado. Quando está tentando escapar, Tessa é encontrada por William Herondale, um jovem Nephilim que vinha investigando, junto aos demais membros do Instituto de Londres, as atividades do Clube Pandemônio, do qual as Irmãs Sombrias faziam parte.

Will consegue resgatar Tessa e a leva ao Instituto, onde ela conhece seus diretores, Charlotte e Henry Branwell, além de James Carstairs e Jessamine Lovelace, outros Caçadores de Sombras que vivem lá, e Thomas, Sophia e Agatha, mundanos com a Visão, que trabalham no Instituto. E é lá, no coração do Enclave, que Tessa aprenderá mais sobre o universo dos Caçadores de Sombras e membros do Submundo, começará a buscar a verdade sobre sua própria condição e tentará, com a ajuda dos Nephilim, encontrar seu irmão e impedir os planos do Magistrado.

Antes de mais nada, preciso dizer: Cassandra Clare não para de me surpreender. Eu sou apaixonada por Os Instrumentos Mortais, e já há algum tempo queria ler As Peças Infernais. Já tinha visto algumas pessoas comentando que a trilogia conseguia ser ainda melhor que a série original, mas ficava com um pé atrás, já que não imaginava como uma história do mesmo universo poderia superar a outra. Comecei a ler “Anjo Mecânico” deixando essa questão de “melhor x pior” de lado, focando apenas na história, e me surpreendi. O universo dos Caçadores de Sombra, que já tinha sido tão ricamente explorado em Os Instrumentos Mortais, ganha novos ares nesse relato que se passa na Londres Vitoriana. Muitas coisas que conhecemos ou estamos acostumados em TMI (“The Mortal Instruments”) ainda não estão presentes no universo destes Caçadores, que lidam de forma mais direta com os problemas da Caça às sombras. As relações com os membros do Submundo também são bem mais complicadas e não tão amistosas – a primeira versão dos Acordos foi assinada apenas alguns anos antes, e os ânimos ainda estão um pouco exaltados e o preconceito se faz muito presente.

Mas o diferencial do livro não está apenas nos novos (ou ainda inexistentes?) elementos, mas na própria escrita da Cassandra. Sim, eu sei que não acreditei quando me disseram isso, mas a escrita dela realmente já está melhor em As Peças Infernais. A construção dos acontecimentos, das frases, dos diálogos e até mesmo da história como um todo já está em um nível mais elevado. A história parece estar mais “amarrada” e mais bem trabalhada, pelo menos para um primeiro volume.

Outro ponto a ser destacado são os personagens. A Cassandra tem uma habilidade incrível de desenvolver personagens profundos, complexos e cativantes. Digam o que disserem sobre “repetição de histórias e personagens”, eu achei os personagens de As Peças Infernais bem originais e diferentes dos presentes em Os Instrumentos Mortais. A protagonista, Tessa, é forte e decidida, não aceitando um não como resposta, e não aceitando que tentem dizer o que ela deve ou precisa fazer (até então, até que é parecida com a Clary). Mas, diferentemente da ruivinha, Tessa tem uma dificuldade inicial em entender e aceitar o mundo das Sombras, principalmente em aceitar que faz parte dele.

Os outros personagens também são incríveis e rapidamente me vi apegada a praticamente todos eles. Até à mesquinha e rabugenta Jessamine Lovelace, que quer tudo, menos ser uma Nephilim. No começo foi difícil gostar de Will, mas quando começamos a descobrir que há uma motivação por trás de suas ações e relações com as outras pessoas, fica difícil julgar e fácil especular o que se passa por trás dos muros. E o James, aaah, James ❤ Como pode existir um personagem tão PERFEITO?! Ele é paciente, amoroso, não guarda rancor, é um perfeito cavalheiro e o único que sabe como lidar com seu parabatai, Will. Ele é perfeito de um jeito que me faltam palavras para explicar – simplesmente é. E todo o conjunto dos habitantes do Instituto funciona como uma máquina estranha, mas que vai fazendo mais sentido conforme você vai descobrindo mais sobre eles.

Em resumo, é fácil devorar o livro. A escrita envolvente, os personagens cativantes e o mistério do Magistrado, que te deixa cada vez mais intrigado, faz com que o livro se torne um vício. É impossível largar ou interromper a leitura, ainda mais para aqueles que já são fãs do universo da Cassandra Clare. Mas mesmo para aqueles que ainda não leram Os Instrumentos Mortais, é possível ler e se apaixonar perdidamente por Anjo Mecânico. Ah, que livro lindo ❤

E, falando em lindo, cabe mencionar a capa. Sou apaixonada pelas capas dos livros da Cassandra, mas as de As Peças Infernais são absolutamente sensacionais. Perdi as contas de quantas vezes interrompia a leitura para ficar admirando a capa. Somando o conteúdo do livro, só tenho uma palavra para definir: perfeição.

Anúncios

44 comentários sobre “Confesso que li: Anjo Mecânico [Resenha]

  1. Maiara Vieira disse:

    Oi linda, tudo bem?
    Eu também sou apaixonada pela série Os instrumentos mortais, pois acho os livros incríveis demais.
    Fiquei bastante curiosa para conhecer mais sobre essa trilogia das Peças Infernais, mas ainda não terminei a série dos instrumentos mortais e quero fazer isso primeiro.
    As capas são realmente lindas, eu fico sempre babando nelas ♥.

    Beijão :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Oi, Maiah, tudo ótimo, e contigo? 😀
      Sim, sou apaixonada por todos os livros, tanto da série quanto da trilogia. Mas eu recomendo que leia a trilogia antes de ler o último livro de “Os Instrumentos Mortais”, porque vai ter um mega spoiler, hehe. E sim, essas capas são lindas demais ❤
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

  2. Ká Andrade - Teen's Books disse:

    Oi Liah,
    Dei só uma olhadinha na sua resenha por um simples motivo: prometi que só leria resenhas/ informações sobre As peças infernais depois que terminasse Instrumentos Mortais.
    Apesar de achar (acredito eu) que as histórias são independentes, acho que é legal terminar um ciclo da Cassandra pra começar outro.
    MESMO ASSIM, estou louca para ler a série! hahahaha Já vi TANTOS comentários mega positivos e ouvi dizer que Princesa Mecânica é simplesmente perfeito então, estou apenas me ajeitando para ler logo os 4 volumes que faltam de Instrumentos Mortais e cair para o abraço! 🙂
    Espero gostar como vi que você gostou, rs!!
    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Oi, Ká, boa tarde! 😀
      Não sei se vai ver essa resposta, espero de verdade que veja, mas leia As Peças Infernais antes de terminar Os Instrumentos Mortais – pelo menos antes de começar “Cidade do Fogo Celestial”. É que o último volume da série contêm alguns spoilers da trilogia, então o melhor é fazer a ordem inversa mesmo :3
      E sim, ah, leia sim! É muito boa, estou apaixonada por essa trilogia, pelo James, por tudo ❤ Também espero que goste tanto quanto eu gostei, ou mesmo mais *—*
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Hey, Karla! 😀
      Bom, se ainda não leu, eu recomendo. De verdade, acho o universo da Cassandra muito bom e envolvente, do tipo que você (pelo menos eu) sempre quer ler mais e mais. Se um dia tiver a oportunidade, espero que leia :3
      Beijos e ótima semana!

      Curtido por 1 pessoa

  3. Eliana Cerqueira disse:

    Oi!
    Eu estou louca para ler esse livro!
    Estava tentando comprar os 3 que já foram lançados, a semana inteira, mas o site não ajuda 😦
    A Cassandra Calre cada vez mais nos surpreende com sua escrita e histórias apaixonantes.
    Fiquei mais louca ainda ao saber que é melhor que Os Instrumentos Mortais *o*
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook Tem promoção de Halloween lá no blog. Não fique fora dessa!

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Oi, Eliana!
      Ah, você precisa ler. Mesmo, é muito bom *—*
      Realmente, ela sempre consegue me surpreender e me deixar apaixonada por seus livros, mal posso esperar pela série “The Dark Artificies”, já que já adorei a Emma Carstairs. E sim, espero que o James tenha alguma aparição, já que terá uma protagonista Carstairs e tal, hehe (sim, eu amo o James e quero ele em tudo quanto é canto agora ❤ )
      Em todo caso, espero que goste tanto quanto eu :3
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Bom dia, Silvana!
      Sim, achei super divertido quando vi sua resenha de Anjo Mecânico, adorei ver os diferentes pontos de vista de uma mesma leitura 😀
      E sim, o Jace é incrível, mas me encantei perdidamente pelo James, se tornou meu personagem preferido de todo o universo de Caçadores de Sombras. E pode deixar que fica melhor sim, e muito *—* Ainda essa semana posto a resenha de Príncipe Mecânico ❤
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Hey, Gabi!
      Ah, que bom que já está com um livro dela, espero que goste tanto quanto eu *—* Acho que Cidade dos Ossos é o mais fraquinho da série, mas já fica bem melhor no segundo livro e o terceiro é (para mim) o melhor de todos *—-*
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Hey, Pedro, bom dia! 😀
      Na verdade, já li os três, hehe. Tive que dar um intervalo entre Anjo Mecânico e os outros, porque precisei ler Maze Runner antes de lançarem o filme, mas retomei Príncipe Mecânico logo em seguida, e me acabei com Princesa Mecânica. O único lado negativo foi que já tinha lido Cidade do Fogo Celestial antes de começar TID, então já sabia de alguns acontecimentos. Mas, ainda assim, foi uma das melhores leituras do ano ❤
      Beijos e volte sempre!

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Hey, Gui, bom dia! Tudo ótimo, e contigo? 🙂
      Sim, os livros da Cassandra são realmente incríveis, sou completamente apaixonada por eles ❤ Gosto tanto, mas tanto da escrita dela, que provavelmente terei tudo que ela publicar, independente do gênero ou da história – sei que vou gostar do mesmo jeito.
      Mas não cometa o mesmo erro que eu e leia As Peças Infernais antes de ler "Cidade dos Anjos Caídos", pois você vai encontrar alguns spoilers, hehe.
      Espero que leia e goste tanto quanto eu :3
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

  4. psychoreader disse:

    Ai essa trilogia <33333
    Adoro Os Instrumentos Mortais, é a coisa mais linda da vida, comecei a ler Cassandra por essa série, mas As Peças Infernais <33 É impossível não se apaixonar pelo Jem! Tive certa dificuldade em gostar do Will, mas como você disse, depois de descobrir o motivo de ele ser como é as coisas vão mudando e até rola uma simpatia, mas o amor pelo Jem ainda é maior hahahahahaha O cruel de Peças Infernais é que só vai melhorando, e quando chega em Princesa Mecânica acabou tudo, vida, felicidade, tudo hahahaha Não sei se você já leu Cidade do Fogo Celestial, caso sim até que nem vai doer tanto, mas se ainda não leu… Se prepara hahahahaha

    Beijos;*
    Renata.

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Ai essa trilogia <33333
      Eu ficava em dúvida no começo, porque me sentia traindo TMI, a série que tanto amei, mas TID é incomparável. Meu coração foi destruído inúmeras vezes, e isso só me fazia querer ler ainda mais. E sim, o Jem ❤ Adoro o Jace, mas o Jem ganhou de longe o meu coração, é muita perfeição em um só Caçador de Sombras, ele é tão ASDFGHJKL! E sim, mesmo compreendendo o Will, nada é o bastante para diminuir meu amor pelo James, meu coração foi dele e todo dele do primeiro momento em que apareceu até o último em Princesa Mecânica, e agora estou louca para poder ler mais alguma coisa com ele. E sim, infelizmente li Cidade do Fogo Celestial antes de começar As Peças Infernais, então já sabia o que aconteceria com o Jem quando comecei Princesa Mecânica. Isso não me impediu de chorar e quase entrar em desespero com a reação do Will, então só posso imaginar o quanto não teria sido pior se não soubesse de tudo. Ah, queria tanto ter amnésia, só para poder ler tudo de novo ❤ ❤ ❤
      Beijos e ótima semana! 😀

      Curtir

  5. Paula Mirella disse:

    AI MEU DEEEEEEEEEEEEEUS! É isso mesmo que eu li?! Está dizendo que As Peças Infernais é melhor que Os Instrumentos Mortais?! :O
    Então acredito em você. Hahaha. Porque vi que compartilhávamos o mesmo pensamento que você citou, levando em conta várias pessoas que diziam que uma série era melhor que a outra. Eu ainda ficava: Como assim?
    Mas depois dessa resenha, você me convenceu (ai, finalmente me convenceram. </3). Estou verdadeiramente curiosa para saber o desenrolar desse livro e alguns personagens que você citou aí… Vai ser perfeito encontrá-los e conhecê-los.
    Concordo também, que a escrita da Cassandra deve estar ainda melhor (como isso é possível?) e que é altamente permitido se apaixonar por As Peças Infernais.
    (AscrônicasdeBanejáentrouemprévendaemeencontrosemdinheiroparatal)
    A propósito, já disse que é altamente permitido se apaixonar por suas resenhas também?!
    Que escrita doce e gostosa de se ler.
    Um beijo!
    Paula, Poetisa & Literária

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Heeeey, Paula! ❤
      SIm. Me parte o coração dizer isso, pois sinto que estou traindo a série original, mas As Peças Infernais é MUITO amor! Li os três livros e fiquei completa e perdidamente apaixonada ❤
      Sim, realmente era difícil entender e aceitar, mas é algo que foi ficando bem evidente enquanto eu lia. Talvez por ser mais "compacta" (afinal, são só três livros), a história conseguiu me cativar mais, por não se perder no meio do caminho. Todos os acontecimentos, todas as reviravoltas e os dramas estão mais "amarrados", nada parece desnecessário ou fora de lugar, tudo se encaixa perfeitamente.
      Em síntese, posso dizer isso: imagine a perfeição de Cidade de Vidro e Cidade dos Anjos Caídos (meus dois preferidos em TMI). As Peças Infernais mantém esse nível de "UAU" do começo ao fim, sem deixar a peteca cair. E seu coração será destruído mais vezes do que você pode imaginar – bad, bad Cassandra, no donuts for you. E SIM, EU VI! Quase morri quando vi As Crônicas de Bane em pré-venda, sabendo que não posso comprar ;-; Mas mês que vem está aí para isso, será a primeira coisa que eu vou atrás quando meu pagamento cair, hehe.
      Aaaaah, que linda você *————-* Obrigada, de verdade, fico muito feliz por saber que gosta ❤
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

  6. Alessandra Tapias disse:

    Eu li o primeiro livro de Instrumentos Mortais e não gostei.
    Mas uma amiga me garantiu de que eu iria gostar muito desta série, que As Peças Infernais é muito mais minha cara… e blá blá blá.
    Agora que li sua resenha, eu acho que pode mesmo me agradar, e muito!!

    Vou acrescentar na minha lista!

    Bjksssssss

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Oi, Alessandra, bom dia!
      Então, acabou que eu não gostei tanto assim de Cidade dos Ossos também. Não que NÃO tenha gostado, mas não amei, sabe? Só que continuei e gostei bem mais do segundo, AMEI o terceiro. Hoje é uma das minhas séries preferidas ❤
      E As Peças Infernais é simplesmente amor. Já gostava do universo dos Caçadores de Sombras, gostei ainda mais com a Londres vitoriana como plano de fundo. Espero que leia e goste tanto quanto eu *—*
      Beijos e até a próxima!

      Curtir

  7. Ana Lima disse:

    Oláaaaaa!!
    Eu sou apaixonada por TMI e me disseram que As Peças Infernais é melhor! Eu estou muito curiosa, comprei o livro a bienal mas ainda não li. Estou esperando ter todos para ler de uma vez só.
    Vejo várias resenhas positivas sobre, e tenho certeza que eu irei amar, assim como eu amo TMI. A Cassandra tem uma escrita surpreendente. A sua resenha só atiçou cada vez mais a minha vontade de ler haahah
    Beijosss

    http://our-constellations.blogspot.com.br/

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Hey, Ana, bom dia!
      Sim, realmente é uma boa já ter todos os livros, acabei devorando os três de uma só vez. O bom é que assim você não interrompe o fluxo da história, o que deixa tudo mais empolgante ainda *—*
      E sim, se ama TMI, acho bem provável que vá amar essa trilogia também. É o mesmo universo, mas com o requinte da Londres vitoriana (aaah ❤ ). E o Jace que me perdoe, mas o James é bem mais amor ❤
      Beijos e ótima leitura!

      Curtir

  8. Fórmula da Felicidade disse:

    Oi Leilah, eu sempre ouvi falar muito bem dessa série, inclusive o que tu mencionou que essa é melhor que Instrumentos Mortais, estou louca para ler, mas quero ler um livro junto com o outro, então só vou conseguir isso nas férias (que estou contando os dias para que chegue). Também amo essas capas, é de ficar babando por elas mesmo haha.
    Amei a resenha! Beijos ♥

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Olá, Laisa! 😀
      Amo demais as duas coleções – tanto a série quanto a trilogia -, mas As Peças Infernais realmente ganhou um espaço todo especial no meu coração. Gosto de Os Instrumentos Mortais principalmente por “Cidade de Vidro” e “Cidade do Fogo Celestial”, mas eu AMEI todos os livros de As Peças Infernais, então…
      E sim, realmente vale a pena ler os três logo em seguida, com toda a história e detalhes frescos na mente. E espero que goste tanto quanto eu *—*
      Aaah, obrigada! Uma ótima semana para ti 🙂

      Curtir

  9. Manu (@keepcalmanu) disse:

    Olá Leillah,
    Também adoro os livros de Cassandra C., ela está sempre surpreendendo com a ótima escrita e a riqueza de novos detalhes nesse mundo incrível que ela criou dos shadowhunters. E sem spoiler, mas devo te dizer que só melhora cada vez mais! Tanto que o último livro da série, “Princesa Mecânica”, empatou para mim com “Cidade de Vidro” de TMI! E não para por ai porque Cassie já disse que vão haver mais duas séries dos caçadores das sombras.

    Beijos,
    http://misssorrisos.blogspot.com.br/

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Hey, Manu, boa noite! 😀
      Aaah, Cassandra é uma diva *-* Sério, me apaixonei pelos livros dela, tanto que fiz o possível e o impossível para conseguir os autógrafos. E eu felizmente (ou infelizmente, não sei dizer, hehe) já terminei a trilogia – Princesa Mecânica é realmente FANTÁSTICO! A trilogia, no geral, me agradou mais que Os Instrumentos Mortais, acho que por ser mais curta e então ter a história mais amarradinha, não sei explicar, hehe. E também sou louca por Cidade de Vidro, é tão perfeito ❤
      Estou louca pela série que focará na Emma Carstairs, já me apaixonei por ela em Cidade do Fogo Celestial, e sinto pena por saber que ela aceitou ser parabatai do Julian. Em todo caso, espero que os livros cheguem logo, sentirei falta do universo dos Caçadores de Sombras :3
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Oi Maria, boa noite! 😀
      Sim, as capas são muito lindas, e são ‘holográficas’, então elas têm um brilho legal quando a luz bate no ângulo certo, hehe.
      E leia sim, os livros da Cassandra são fantásticos, você fica presa do começo ao fim. E leia a trilogia As Peças Infernais antes de ler “Cidade do Fogo Celestial”, porque vai ter alguns spoilers, hehe. O poder da Tessa é realmente interessante e tem um momento no terceiro livro que ela o uso de uma forma sensacional – fiquei de queixo caído.
      Beijos e ótima semana!

      Curtir

  10. Caverna Literária disse:

    Ah meu deus, que saudades dessa série! Anjo Mecânico é tão perfeito quanto TMI, é incrível o que ela consegue fazer com os personagens, né? Relacionar épocas, situações, e fazer com que nós mesmos vivenciemos aquela história. Enquanto você morre de amores pelo Jem, eu sou mais team Will, hahaha. Lê loogo os outros, é uma surpresa atrás da outra! *-*

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova de “A Lista Negra” no blog, vem conferir!

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      Essa trilogia é muuuito perfeita *—–*
      Sim, os personagens são realmente fantásticos, me apeguei de verdade a todos eles, não queria ter que dizer adeus nunca. E sim, mesmo sendo no passado distante, a Cassandra fez de um jeito que é fácil nos inserirmos na história e desejarmos vivenciar aquilo. E já terminei *—-* Acabei “Princesa Mecânica” no domingo e amei a trilogia como um todo – entrou nas preferidas. Só demorou para começar a postar a resenha porque resolvi postar de Maze Runner primeiro, hehe.
      E sim, amo, amo, AMO o James. Gente, que personagem amor. Cheguei ao fim da trilogia com uma quedinha pelo Will, mas o James é tão AAAAAAAAAAAAAAAH ❤ ❤ ❤

      Beijos e volte sempre!

      Curtir

Confessionário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s