Desafio Who #7: IT’S ALIVE!

Olá, pessoas da Terra e viajantes do espaço!

Me sinto em uma dívida profunda com a Juh, do Chá & Livros, e com o Ruan, do Escritos e Estórias, por me darem o incentivo necessário para retomar o Desafio Who. Tinha medo que acabaria travando apenas naqueles episódios apresentados na semana passada, e que desanimaria novamente quando retornasse para a série clássica, mas felizmente não foi assim. Apesar de ainda não assistir um número necessário para cumprir o desafio dentro do prazo estipulado, consegui cobrir quatro novos arcos e terminar a segunda temporada da série!

tumblr_n7u8czdwFI1qzs5cqo1_500 (1)

Então, sem mais nem menos, vamos aos episódios da semana!

crusade02O primeiro arco foi The Crusade, quando o Doctor e seus companions se veem na Palestina no século XII, em meio às cruzadas. Enquanto verificavam os arredores, os viajantes da TARDIS acabaram se separando e Barbara foi sequestrada por um dos “bárbaros”, sendo levada cativa junto com outro lorde inglês, que se passava pelo rei da Inglaterra. Retornando para a base inglesa junto ao rei Ricardo Coração de Leão, o Doctor, Ian e Vicky (que está vestida como um garoto, já que o Doctor achou que seria mais seguro), dividem seus esforços em convencer o rei a ajudar no resgate de Barbara, não se contentando com um não como resposta. Já no acampamento inimigo, Barbara descobre um gentil aliado e um poderoso inimigo, que pode ser o motivo de sua ruína. Com alguns episódios reconstituídos, este é outro dos arcos históricos que não me atraiu muito. Não é ruim, toda a sequência é muito bela e bem trabalhada, mas achei um pouco lento e pouco envolvente, tanto que fiquei quase um mês parada no segundo episódio dele. Apesar de não ser um dos mais fracos que vi, também não foi dos melhores. O ponto positivo aqui foi a astúcia do Ian, que, como sempre, acabou sendo essencial para salvar o dia.

tumblr_n9hy2fCFaH1rnd0ovo4_250Saindo de um arco histórico, não tão forte assim, passamos para um dos que mais gostei até então. Em The Space Museum, nós vemos a TARDIS pousando no planeta Xeros, onde diversas coisas estranhas começam a acontecer. Os viajantes encontram uma espécie de museu espacial, mas nenhuma das pessoas que encontram pelo caminho parecem vê-los ou ouvi-los, quase como se não estivessem ali. Depois de caminhar por horas pelo espaço infinito do museu, o Doctor, Ian, Barbara e Vicki chegam a uma ala do museu que apresenta uma estranha exibição: a TARDIS, assim como cada um deles, dispostos dentro de cases de vidro. E não são réplicas, são realmente eles. Enquanto tentam descobrir como e por que foram parar ali, o Doctor e seus acompanhantes precisam descobrir um jeito de evitar o inevitável, um jeito de reescrever o futuro. O arco foi fantástico, amei toda a história e o desenvolvimento. Assisti a todos os episódios de uma única vez, não conseguia parar depois que comecei, queria saber qual seria o resultado final daquilo (apesar de já saber que eles não ficariam presos ali, ou a história não teria continuado, hehe). E foi nesse arco que presenciei uma das cenas mais engraçadas de Doctor Who até então: o Doctor escondido dentro da estrutura de um Dalek, falando com a vozinha robótica e depois aparecendo com um ar todo serelepe. Ah, Doctor! (risos).

Doctor_Who__The_ChaseE, falando em Daleks, não foi a última vez que nos deparamos com esses robozinhos mortais e mal humorados. No fim do arco anterior, descobrimos que os Daleks estão furiosos com o Doctor e determinados a exterminá-lo (EXTERMINATED! EXTERMINATED!), por ele ter atrapalhados seus planos de conquista da Terra. Após construírem uma nave espacial que também pode viajar pelo tempo e espaço, os Daleks começam uma perseguição implacável à TARDIS em The Chase, perseguindo o Doctor pelo presente, passado e futuro, não só na Terra, mas também em outros planetas. O cerco começa a se fechar e fica cada vez mais difícil para o Doctor escapar com sua tripulação, até que só uma alternativa ainda existe: o confronto. Fui conquistada pelos Daleks logo no começo, e gostei ainda mais desse retorno deles. As criaturas mais cruéis, vis e engraçadas do universo retornaram para um dos melhores arcos da segunda temporada. A perseguição é implacável e eu realmente fiquei apreensiva, me perguntando como o Doctor faria para enfrentar os robôs. E neste arco temos outra despedida: Ian e Barbara nos deixam, retornando para a Terra em 1966 e, assim, a equipe original finalmente foi desfeita. Sabia que uma hora precisaria me despedir deles, mas, diferentemente da Susan (tchau, Susan!), realmente sentirei falta do Ian e da Barbara 😦

meddler5O último arco da segunda temporada foi The Time Meddler, outro arco histórico, mas que eu realmente gostei (falei que vou acabar amando metade dos arcos históricos e odiando a outra metade). Novamente na Inglaterra, desta vez em 1066, o Doctor, Vicki e Steven (vou falar um pouco sobre ele daqui a pouco) encontram-se à beira de uma invasão viking. A TARDIS foi avistada se desmaterializando por duas pessoas: um aldeão, que viu a estranha “caixa”, e passa a encarar seus tripulantes como espiões dos vikings, e um estranho monge, que guarda mais segredos do que qualquer um pode imaginar. Aqui vemos o primeiro time lord além do Doctor, e uma TARDIS que ainda possui um sistema camaleão funcional. Um enxerido, que quer reescrever a história a seu bel-prazer, o monge é um homem a ser detido, e o Doctor faz o possível para que seus planos não sejam levados a cabo. É neste arco que conhecemos também o Steven. Ele foi apresentado no último episódio do arco anterior, e conseguiu se esgueirar para a TARDIS antes que a nave deixasse o planeta em que se encontravam. Duvidando no começo da capacidade da TARDIS de viajar através do tempo e espaço, ele dá um bom trabalho para Vicki, até que realmente aceita sua nova condição. Outro arco muito bem feito e trabalhado, conseguiu criar uma trama intrigante e mesmo um pouco misteriosa.

Mesmo não conseguindo assistir tantos episódios assim, consegue um novo ânimo, que espero ser o bastante para dar conta do desafio. E por enquanto é isso, nos vemos na próxima viagem!

XOXO,

Me.

Desafio Who – Controle
Episódios assistidos na última semana: 18
Episódios restantes: 734
Dias restantes: 100
Média de episódios por semana para cumprir o desafio: 51
Média anterior: 39

Anúncios

2 comentários sobre “Desafio Who #7: IT’S ALIVE!

  1. Ruan Machado disse:

    Eu também estou passando pelo mesmo problema que você! Já que já vi todos os ep. da New Who, passei a ver alguns ep. da Classic! Mas tá chatoooo… Tá muito chato! É bom, porém o ritmo é lento! E bora lá.. As companions também não são lá essas coisas! hahaha Ai decidi assistir arco solto da Classic e parei no Arco 45… E cara, to in love ❤ hahaha Só digo algo… Jamie! :3 :3 :3

    Curtir

    • Liah Nogueira disse:

      HASIUDHSUIDHAUSIDHASUIDHIAUHDUISUI SIIIIM! O ritmo é realmente bem lentinho, o que deixa bem difícil de assistir. Muitas vezes a ideia é até legal, mas fica num ritmo tão “zZzZZzZ” que eu não consigo assistir a mais que um episódio por vez. De companions, apesar de detestar a Susan, eu AMAVA o Ian e a Barbara. O Ian era incrível, era quem resolvia a maioria dos problemas, lol. Mas agora os dois saíram, e não sei como vai ser D:
      Eita, ainda demora um pouco para eu chegar ao 45, HSAUIDHASUIDHSAUIDHAI. Mas já anotei a informação, “Jamie”. Tentarei lembrar, hehe
      Beijos e até mais!

      Curtir

Confessionário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s