Desafio Who #6: Keep Calm and Don’t Blink

Olá, pessoas da Terra e viajantes do espaço!

keep_calm_and_don__t_blink__by_soverydalektable-d4u5es6

O Desafio Who está de volta! Ok, não sei se vou continuar com a parte do desafio, nunca no mundo eu conseguiria assistir todos os episódios até o fim do ano, mas, depois de tantos meses parada, resolvi me entregar mais uma vez ao mundo de Doctor Who. Tudo começou com a tag de sexta, que já tinha me animado um pouco, e mais tarde, conversando com o Ruan (uma das pessoas indiquei para responder a tag), confirmei o meu nível de maluquice ao dizer que havia resolvido começar pela série clássica, seguindo a ordem cronológica. Quando falei que havia desanimado, ele me passou uma lista de cinco episódios, dizendo que quem curte a série normalmente indica esses episódios para quem quer começar, para ver se a pessoa vai gostar ou não. E, bom, esse foi apenas o incentivo que eu precisava para voltar… Por isso, resolvi falar um pouco desses episódios aqui, porque realmente foram muito bons!

DoctorWho4x10Midnightmkv_000006039Midnight (S04E10). Neste episódio, o Doctor resolve aproveitar um tempo livre para visitar a cascata de safiras do planeta Midnight. Tendo que aguentar quatro horas de viagem por um planeta inóspito, onde a luz solar X-tônica poderia desintegrar qualquer um dos ocupantes da nave se ocorresse alguma falha na segurança, o Doctor e os demais passageiros não tinham muito o que fazer além de conversarem entre si. Mas tudo começou a dar errado quando, após pegarem uma rota alternativa, nunca usada antes, os pilotos identificam uma falha na nave, que faz com que a mesma pare de funcionar. Presos no meio do caminho, só resta aguardarem a equipe de resgate, que levaria pelo menos uma hora para chegar ali. E, como se não bastasse isso, os passageiros começam a ouvir estranhos sons vindo do lado de fora da nave, o que não faz sentido algum, já que nenhuma forma de vida sobreviveria naquele planeta. Ou será que sobreviveria? Esse foi o quarto episódio que assisti e, se precisasse escolher um top 5 dos episódios, ele ficaria em quinto lugar. Não que não tenha sido bom, porque foi, mas os outros foram fantásticos. Quando uma das passageiras começa a agir de maneira estranha, o que leva todos os outros a perderem a cabeça, você não consegue parar de se perguntar “o que diabos está acontecendo?!”. Fiquei curiosa do começo ao fim, querendo saber onde aquilo iria me levar, e querendo saber se eles descobririam o que estava acontecendo dentro da nave.

tumblr_mktf0uGlZA1qbr2muo1_500The Doctor’s Wife (S06E04). “Oh, you sexy thing“. Após receber uma mensagem com um pedido de socorro de outro Time Lord, o Doctor resolve ir aonde nunca fora antes: fora do Universo. Chegando a um planeta desolado, que mais parece um ferro-velho, o Doctor está decidido a encontrar o Time Lord que enviou o pedido de socorro, mas, antes de poder fazer qualquer coisa, a TARDIS desliga, sua energia tendo sido drenada. Eles saem para explorar o planeta e conhecem seus poucos e estranhos habitantes: o Tio, a Tia, o Sobrinho e Idris. E descobrem que o planeta não é bem um planeta, mas um ser vivo, chamado de Lar por seus habitantes. Após ser recepcionado de forma bem estranha por Idris, que continua o chamando de “Meu Ladrão”, o Doctor engana Amy e Rory para que eles voltem para a TARDIS, enquanto ele investiga o que se passa naquele estranho lugar. Sendo o terceiro episódio que assisti, “The Doctor’s Wife” foi absolutamente fantástico. Adorei a “Idris”, não queria perder um minuto da presença dela e queria poder ver mais, na verdade. Sofri com a Amy e o Rory dentro da TARDIS e me emocionei com o adeus da Idris e do Doctor. Tão amor! ♥

vincent-and-the-doctor-doctor-who-12772213-800-675Vincent and The Doctor (S05E10). Durante uma visita ao Museu de Orsay, em Paris, Doctor e Amy aproveitam para conhecer as obras de Vincent van Gogh. Mas, ao observar uma pintura mais de perto, o Doctor repara uma estranha silhueta e detecta o perigo. Sua decisão? Entrar na TARDIS e viajar para 1890, antes que o quadro fosse pintado, para que pudessem investigar o que era. Ao chegar lá, descobrem que uma estranha criatura tem atacado o vilarejo, e o único que pode vê-la é justamente Vincent, que se une a eles na caça ao monstro. O episódio inteiro foi muito divertido, mas não é por isso que o adorei. O ponto alto do episódio, e que para mim provavelmente será um dos pontos altos em toda a série, foi nos minutos finais, quando o Doctor e Amy trazem o pintor para o presente, para que ele pudesse ver o impacto de sua arte no mundo moderno. Desacreditado no passado, Vincent fica emocionado ao ver tantas pessoas admirando suas pinturas, e vai às lágrimas quando ouve o que o curador do museu tem a falar sobre ele. Difícil não se emocionar junto…

doctor-who-christmas-carol-04A Christmas Carol (S05E14). Viajando em sua lua de mel, Amy e Rory correm um grande risco quando a nave em que estão viajando passa por uma turbulência e é atraída para uma estranha tempestade que envolve todo um planeta. Com mais de quatro mil pessoas a bordo da nave, e os comandos não respondendo, os ocupantes da nave precisam desesperadamente descobrir uma forma de pousar a nave em segurança. Amy chama o Doctor, que chega ao planeta e acaba parando na casa de Kazran Sardick, o homem mais poderoso daquele planeta, e que possui a máquina que pode controlar as nuvens que estão impedindo o bom funcionamento da nave. Mas Kazran é um homem implacável, que não liga para as vidas que irão se perder se a nave não conseguir pousar, e acha que o planeta já está cheio demais, negando-se a utilizar sua máquina para salvar aquelas pessoas. E, sendo o único que pode controlar o maquinário, parece ter condenados todos os passageiros e tripulantes da nave. Não satisfeito em desistir, o Doctor resolve incorporar o fantasma do Natal Passado, usando a TARDIS para voltar à infância de Kazran e mudar sua história, tentando transformá-lo em um homem menos amargo. Mas será que mexer no passado será o bastante para alterar o presente? Até onde pode-se reescrever a vida de uma pessoa? Eu amo a história de “A Christmas Carol”, sempre assisto aos desenhos, independente da adaptação. É uma história bonita, singela e que aquece o coração. Qual não foi minha surpresa ao ver a história presente no universo de Doctor Who. Ao invés de fantasmas, um viajante do tempo e espaço, que decide corrigir os “erros” do passado de Kazran. O episódio inteiro foi muito perfeito, não queria que acabasse nunca, e, apesar de estar aflita com os acontecimentos do presente, fui conquistada pelas transformações do passado, e pelas reações de Kazran no presente, ao ver suas lembranças mudando. Assim como em “Vincent and The Doctor”, as emoções afloraram e, dessa vez, não pude evitar chorar. O fim foi fantástico e me apaixonei pela canção da Abigail.

weeping-angelBlink (S03E10). Ao visitar uma casa abandonada, Sally Sparrow descobre uma mensagem para ela, escondida por baixo do papel de parede e assinada como “The Doctor (1969)”. Ela não consegue entender como alguém poderia ter deixado uma mensagem para ela ali, ou o que aquilo significaria. Retornando com sua amiga em outro dia, as coisas ficam ainda mais estranhas quando a campainha toca, e Sally encontra um homem que diz precisar entregar uma mensagem para ela, uma mensagem de sua amiga, que estava a seu lado pouco tempo antes, mas que o homem alega ser sua avó. Ao ler a carta, Sally percebe que realmente se trata de Kathy, mas não entende o que está acontecendo. Uma série de Easter Eggs em 17 DVDs deixam as coisas ainda mais estranhas, quando o Doctor retorna, e parece se comunicar com Sally através da gravação. Tudo parece girar em torno das estranhas estátuas de anjos presentes na casa, que guardam um grande mistério. AI. MEU. DEUS. O que foi esse episódio?! Sério, socorro, aaaaah! Esse foi o único episódio que eu “conheci” previamente. Enquanto conversava com uma prima sobre uma passagem de “O Jogo Infinito”, ela mencionou que provavelmente era baseado nos Weeping Angels de Doctor Who, explicando que eram criaturas que apenas se moviam quando você não estava olhando para elas. Nisso, ao ler a sinopse do episódio no Orangotag, percebi que era justamente esse episódio. E meu Deus, que episódio incrível! Fiquei sentada na ponta da cadeira o episódio inteira, angustiada e nervosa, cada vez que um anjo aparecia em outro lugar ou estava em uma posição diferente. Fiquei apreensiva e quase tive mini paradas cardíacas mais de uma vez. Vamos concordar, nunca mais verei estátuas do mesmo jeito. E, se eu posso dar um conselho a você:

AngelNão pisque. O que quer que você faça, não feche os olhos…

XOXO,

Me.

Anúncios

2 comentários sobre “Desafio Who #6: Keep Calm and Don’t Blink

Confessionário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s